ACESSOS DIRETOS

CLIMA E TEMPO

NOTÍCIAS Voltar >

Biblioteca da escola Genoveva Pelisser recebe o nome do professor Oscar Zanini

Publicado em 26/09/2017, Por Bruna Belusso - Assessoria de Imprensa

Cuidar dos livros e zelar pela leitura. Esta era a paixão do professor Oscar Zanini, que faleceu em 2009, mas deixou um grande legado para as futuras gerações de Santo Expedito do Sul. Tapejarense de nascimento e expeditense de coração, Zanini recebeu uma justa homenagem póstuma no dia 18 de setembro de 2017, quando a biblioteca da Escola Estadual Genoveva Pelisser foi reinaugurada após um vendaval que atingiu parte da estrutura em maio.

Tudo começou após um vendaval que atingiu a cidade e afetou a biblioteca da escola, causando danos em uma grande quantidade de obras literárias de muitos gêneros. Sensibilizada com a situação em que se encontrava a biblioteca e sabendo da paixão do professor Oscar pela literatura, a viúva Maria Zanini e o filho Rudinei Zanini resolveram doar um aparelho de som para que fosse feita uma rifa e com os recursos obtidos, fossem adquiridos novos livros para substituir os exemplares danificados.

Devido à bela atitude da família Zanini, a direção da escola Genoveva Pelisser resolveu homenagear o professor dando à biblioteca recém-reformada o nome de Professor Oscar Zanini, o nome de quem tanto se dedicou para que crianças, jovens e adultos viajassem através dos livros. Estava presente na cerimônia de reinauguração, a viúva de Oscar, dona Maria, que se emocionou com a honraria.

Como já dizia o professor Oscar Zanini, “A maior herança que podemos ter é o conhecimento”. Lembraremos sempre deste homem sábio, honrado e trabalhador, que alfabetizou tantos expeditenses e que dedicou a vida toda aos livros.

Professor Oscar, o homem de fé que acreditava no poder da leitura

Oscar Zanini nasceu em Tapejara – RS em 03 de junho de 1945, filho de Dante Ângelo Zanini e Mercedes Seben Zanini. Filho de agricultores, ainda adolescente Oscar foi morar com sua família na comunidade de Santa Luzia, interior do município de Lagoa Vermelha, onde trabalhou na agricultura junto com os pais e mais seis irmãos. Pouco tempo depois, Oscar retornaria à Tapejara e depois partiria para o Seminário de Vacaria, para concluir o ginasial.

Com 18 anos e após concluir o ginasial, Oscar chega às terras do atual município de Santo Expedito do Sul, para dar aulas na escola Paulino Marques da Rosa, localizada na Capela São Paulo. Ali conhece sua futura esposa, Maria Marques da Silva, filha do patrono da escola onde ele iniciou sua carreira. Neste período, o professor também lecionou nas escolas das comunidades de São Valentim e Linha Colorado.

Oscar e Maria se casaram e foram morar em Lagoa Vermelha para que ele pudesse aperfeiçoar sua formação. Em 1973, ele retornou a Santo Expedito do Sul para lecionar na escola Genoveva Pelisser. Nesta época, o nome da localidade era Santo Expedito, distrito do município de São José do Ouro. Oscar e Maria tiveram quatro filhos.

Um acontecimento muito bonito na trajetória de Oscar Zanini é o fato de ele ter sido o primeiro ministro da eucaristia ordenado na Diocese de Vacaria. Zanini também possuía a autorização para celebrar casamentos, tamanha era a responsabilidade e importância que sua figura possuía dentro da comunidade.

Em 1986, Zanini se mudou para a cidade de Vacaria, onde trabalhou de forma voluntária na missão de reorganizar a biblioteca do colégio do seminário. Após aposentar-se, Oscar prestou concurso público e retornou para a sala de aula na escola Genoveva Pelisser, onde lecionou até a data de seu falecimento, em 2009.

Profissional dedicado e cidadão atuante, Oscar Zanini fez sua paixão pelos livros ultrapassar as paredes das bibliotecas e deixou sua marca também na política, vida religiosa e social. Mestre inesquecível, que sempre estava de bom humor e disposto a ajudar a todos, o professor Oscar Zanini foi um nome muito importante para a sociedade expeditense. Sua viúva Maria ainda reside em Santo Expedito do Sul.  





Imprimir Notícia - Compartilhar no Facebook